SISAPE - Sistema de Acompanhamento de Projetos de Pesquisa e Extensão

Detalhes do Projeto

Título
ANÁLISE DA RESPOSTA IMUNOLÓGICA EM PACIENTES INFECTADOS POR SARS-COV-2 COM DIFERENTES MANIFESTAÇÕES DA COVID-19.
Tipo de Projeto
Pesquisa
Coordenador(a)
Fabrício Freire de Melo
Data Inicial
01/04/2021
Data Final
01/04/2025
Resumo
A cura da infecção por SARS-CoV-2 requer resposta iniciada por células do trato respiratório, resposta inata e adaptativa. Início da resposta inata se dá nas células epiteliais do trato respiratório, ocorrendo atração de NK, macrófagos e células dendríticas que após maturação nos linfonodos passam a recrutar e ativar linfócitos, visando manter a homeostasia; entretanto, essa pode ser rompida havendo resposta inflamatória excessiva. Dentre as células que podem ter papel na resposta desarmônica, salienta-se a Th17. Em viroses respiratórias há concentrações elevadas de IL17, como observado no vírus respiratório sincicial em seres humanos e animais. IL17 e também IL6 estão aumentadas na infecção humana e animal pela influenza. IL6 também está aumentada na SARS-MERS. Como contraponto à célula Th17, merece destaque a citocina IL27, potente inibidor da diferenciação de Th17. IL27 é crucial na proteção contra inflamação durante a infecção pelo influenza. Na infecção por RSV em camundongos deficientes de IL27RA houve aumento IL17A. Em camundongos deficientes de IL27 com vírus parainfluenza observou-se lesões pulmonares e diminuição de sobrevida. Já a osteopontina (OPN) estimula a diferenciação de células Th17 e está aumentada em condições clínicas associadas com inflamação. OPN atua como uma molécula quimiotática promovendo a migração de células inflamatórias e age como adesina. Vale ressaltar que em células dendríticas, iOPN tem uma função de diminuir IL27 levando a um adicional aumento da resposta Th17. Não há estudos avaliando OPN em COVID- 19, mas os níveis de OPN foi visto estarem elevados e associados com o grau da lesão pulmonar e os níveis de TNFalpha; e IL6 na influenza. A proposta é pautada na identificação de fatores do hospedeiro associados à evolução para as diversas formas da doença causada pela SARS-CoV-2, bem como daqueles associados à resistência de indivíduos infectados que se mantêm assintomáticos. Nesse contexto, a avaliação da IL-27como uma molécula chave na história natural da COVID-19 pode revelar seu potencial para uso como tratamento dos casos mais graves de COVID- 19 ou mesmo para prevenir que venham ocorrer. Assim, considerando que é a COVID-19 é uma doença emergente grave que pode ser letal, tem impacto no sistema de saúde público e na economia do país, o conhecimento do perfil de citocinas das respostas imunológicas inata e adaptativa do hospedeiro é fulcral para que se entenda o desfecho da infecção e, consequentemente, para que possam ser traçadas estratégias terapêuticas.
Equipe Executora
NomeVínculoFunção no ProjetoCH Semanal
Breno Bittencourt de BritoBolsa PIBICEstudante colaborador20
DULCIENE MARIA DE MAGALHÃES QUEIROZOutroColaborador10
Claudio Lima Souza DocenteColaborador10
Fabrício Freire de Melo DocenteCoordenador10
Filipe Antonio Franca da SilvaBolsa PERMANECEREstudante colaborador20
GIFONE AGUIAR ROCHAOutroColaborador10
Glauber Rocha Lima AraújoVoluntárioEstudante colaborador20
LUANA WEBER LOPESOutroMestranda coloboradora40
Marcio Vasconcelos OliveiraDocenteColaborador10
Maria Luísa Cordeiro SantosBolsa PIBICEstudante colaborador20
Mariana Miranda SampaioVoluntárioEstudante colaborador20
RAFAEL SANTOS DANTAS MIRANDA DÓREAOutroPós-doutorando coloborador40
THIAGO MACÊDO LOPES CORREIAOutroColaborador20
AIRTON IDALÉCIO SOUSA VIANAOutroMestrando coloborador40
Beatriz Rocha CuzzuolVoluntárioEstudante colaborador20
Camilo Santana SilvaBolsa PERMANECEREstudante colaborador20
Elise Santos VieiraVoluntárioEstudante colaborador20
GABRIEL CARVALHO BRITOOutroMestrando coloborador40
Hanna Santos MarquesVoluntárioEstudante colaborador20
Jonathan Santos ApolonioBolsa PERMANECEREstudante colaborador20